quinta-feira, 26 de junho de 2014

Sorria


Ela sorriu, que decepção, o sorriso nos tempos atuais é o maior gesto de crueldade por parte da humanidade, nem a mais cruel das hienas se atreveria a sorrir em tempos de tamanha violência, um carnívoro que sobrevive de carcaças sabe muito bem o que é a miséria, os restos deixados pelos predadores maiores é o que garante a sobrevivência das hienas, talvez isso justifique aquele sorriso sádico, aquele riso demoníaco sob o instinto do “rir para não chorar”, é de se supor então que a hiena seja o mais repugnante dos predadores, o predador que fica a espreita, se aproveitando do trabalho alheio, que se diverte com a tragédia a qual a natureza lhe submeteu, neste mundo tenebroso então, sorrir é o grande pecado, muitos não vivem a tragédia, nem todos são vítimas da violência, contudo, a violência aí está, chacinas em hospitais, violência contra a saúde,  assaltos em escadões, violência contra o indivíduo, mas tudo bem, faça como as hienas, sorria da tragédia, sorria da desgraça, sorria e admita a ignorância, a ideia de que quem canta os males espanta é totalmente equivocada, quem canta  os hipócritas encanta, é um erro cantar enquanto o mundo grita de dor, aquela linda bola na trave que não altera o placar, que leva a torcida ao delírio não é tão impressionante quanto o menino que vai pra fera vender suas laranjas, o gesto do menino que vai pra fera vender suas laranjas tem pouco valor em comparação aos negrinhos da Somália que jamais viram uma laranja, o menino que vai pra fera deveria se envergonhar de vender  laranjas,  com muito suor ele vende laranjas enquanto as crianças da Somália suam de fome, que vergonha menino, que vergonha!

A diversão pois então está proibida, proibido também está o prazer e por extensão o tesão, prazer de apreciar um suco gelado, de saborear um bom prato, tá tudo proibido, tá tudo errado, seria um grande egoísmo gozar enquanto a outra parte dos nossos irmãos humanos agonizam em miséria, parte do mundo em luto e a outra parte em festa, sendo assim, só uma saída nos resta, convocar o militantes de sofá, convocar os revolucionários de Facebook, aqueles que cobram dos eleitores consciência na hora de votar como se houvessem bons candidatos, eles são frutos da pseuda-intelectualidade, aqueles que bravejam por vaidade e não por buscarem a real mudança, afinal, quem de fato busca a solução não procede com amargura, age de bom coração, quem busca a mudança não se engrandece com a ignorância alheia, mas sim busca elucidar quem sofre de cegueira.

Esse seu maldito sorriso meu bem é decepcionante tanto quanto interessante, é uma ofensa aos politizados das redes sociais que atacam com empolgação vazia nosso corrupto e lindo país tropical, esses indignados proibiram o encontro com a alegria, eles agem amargamente e fazem como as hienas, proíbem o riso, mas riem sobre as carcaças, proíbem a alegria mas não hesitam em se aproveitar das sobras e da carniça, se divertem as escondidas, gritam gol, vibram com nocautes, mas são incapazes de dar o outro lado da face para um novo tapa, enquanto os ignorantes que sequer sabem o que é uma democracia praticam o altruísmo, os intelectuais de Facebook ostentam o conhecimento em política após uma rápida pesquisa no Wikipédia, enquanto as vítimas da desigualdade social, enquanto os  mal educados praticam a caridade, eles dissertam sobre a criminalidade.

O mundo está torto, as vias congestionadas, os noticiários vermelhos de sangue, o Palmeiras em má fase e nesse exato instante ela surge radiante, em meio a tanta injustiça, em meio a confusão ela aparece, penso em como é possível haver tanta desigualdade, estava ela em torno da nata da beleza mundial, no fluxo do maior evento esportivo que o mundo já teve, havia ali então belezas desiguais, uruguaias pálidas, colombianas escuras, argentinas magras, boliviana gordas, havia ali européias baixinhas, asiáticas altivas, marfinenses ricas e costa-riquenhas pobres, mas mais do que toda essa diversidade ali estava a brasilidade, ela sorria para esse machucado mundo em festa, um mundo com suas feridas atenuadas pela manha brasileira, pelo gesto tropical, pelo toque, pelo divino e pelo profano.

Havia claramente expresso naquele olhar sorridente a chave do bem e do mal, o sorriso acolhedor, convidativo, capaz de lenir a angústia dos chateados, ou um sorriso acolhedor, convidativo, capaz de ampliar a agonia dos indignados.

A energia contida nessas terras tropicais estava ali concentrada naquele sorriso sutil, pro bem ou pro mal quem o viu renasceu, conforme é proposto pelo nome dessa agente brasileira, os atingidos pelo sorriso nasceram novamente, como se houvesse uma segunda chance. Aos indignados foi dada a nova chance de aprenderem um pouco do que é o amor e aos chateados de voltarem a sorrir sem pudor. 

Viva ao Brasil, rumo ao hexa!

terça-feira, 3 de junho de 2014

Vestida para matar.



 Não seja tolo nobre homem, o seu requinte não irá me comprar, minha ambição é maior do que imaginas, nem só de pão e sapatos viverá a mulher, sua ingenuidade muito me espanta, mesmo com essa katana apoiada em seu pescoço você ainda não entendeu que sou mais afiada que sua conta bancária? O seu dinheiro é capaz de estuprar, capaz até de estripar, mas não necessariamente capaz de conquistar, com isso, levarei sua cabeça em sinal de conquista, Adeus!

 De nada valeu todo esse aparato de segurança, esse circuito interno de filmagem servirá apenas para registrar o seu fim, os ruídos do alarme servirão apenas para abafar seu desespero, abafar seus gritos promovidos por esse açoite, talvez nem Alá te ouça em meio a esse barulho infernal, que vergonha, seguranças de primeiro escalão treinados em Israel enganados por um simples sorriso, por esse mesmo sorriso que você quis escravizar, uma pena que essa barulheira abafará o estralo do seu pescoço, Adeus!

 Não chora meu bem, tamanha lamúria não diminuirá a injúria, tenha vergonha e não chore diante de uma mulher, o estrago que essa Magnum calibre 44 fará em sua testa te libertará de um mal maior,  me recuso a disparar enquanto essas lágrimas estiverem escorrendo, quero dar-te um fim digno, foi contigo que aprendi que da mulher nasce a poesia, embora elas sejam incapazes de escrever uma única estrofe por falta de fonte inspiradora, exemplo vivo (por enquanto) é este diante de mim, você, homens por essência são insuficientes para nos dar aquele frio na barriga, não posso negar que toda essa testosterona nos fazem vibrar, mas ainda assim é insuficiente, muito trivial, é preciso algo a mais e isso vocês não compreendem, as maravilhosas poesias bem como os maravilhosos cânticos entoados por vocês tentam entender e explicar um pouco de nós mulheres, saiba contudo meu bem que tudo isso é vão, é muito poderoso, porém não fatal, levante-se e descanse seus joelhos, mesmo contudo lhe darei a honra de cair de pé,  Adeus!

Há quem condene meu julgamento, mas não tolero farelos no meu novo carpete, nem tampouco manchas de lágrimas no meu piso envernizado, se voltar contra o belo pode ser cruel, pois o belo é capaz de cegar, o belo é capaz de trazer luz ao cego, pois na beleza até a crueldade é permitida , pois sim, beleza se põe na mesa, look out!