sexta-feira, 17 de abril de 2009

Child

Hoje na reunião pedagógica de pais e mestres do meu filho-irmão, senti as distintas realidades de cada criança em seu seio familiar, o tema abordado na reunião de hoje foi a violência no ambiente escolar, foram dado vários exemplos de ocorrências criminosas dentro do ambiente escolar promovido por adolescentes de 14 a 15 anos, cada pai ali presente compartilhou de suas experiências similares ao tema com o professor que regia a reunião, avaliei cada fato isoladamente e vi as inúmeras dificuldades de aprendizado que os alunos encontram pela carência de boas influências dentro de sua dura realidade social, nesse ponto vi o quão privilegiado fui no meu período de infância e adolescência, isso deve-se ao meu estável padrão familiar, vejam, tenho um irmão 8 anos mais velho do que eu, que foi e é uma boa referência para mim, sempre me espelhei em suas ações, um exemplo de ser-humano, meu ídolo, tenho duas irmãs mais velhas que exerceram e exercem bem o papel de irmãs, e por serem mais velhas me isentam da responsabilidade de protegê-las e de sentimentos de ciúme, tenho um irmão dois anos mais novo que eu, irmão este que compartilha de anseios comuns ao meus, desde o mesmo time de futebol a preferências musicais a conceitos de moral, isso faz com que vivenciamos os mesmos ambientes, e como se não bastasse ainda tenho um irmãozinho que vejo como um filho, uma noite longe dele já me deixa saudoso.


Nessa referida reunião de pais, lamentei por ver o poder que o meio exerce na formação das crianças, muitos talentos são desperdiçados em virtude das más influências encontradas em meios sociais , vi crianças se empolgarem com a violência e se estimarem com ações maldosas, isso em razão do triste meio social que estas crianças compõem, lamentei sobretudo ao comparar essas crianças com dificuldades ao meu irmãozinho, meu irmão goza da vantagem de ter bons pais e 5 irmãos preocupados com sua formação pessoal e profissional, uma criança com valores altruístas adquirido através dos pais e ao mesmo tempo esperta em função dos ensinamento de seus irmãos mais velhos, isso portanto, facilita o aprendizado dele, com isso, é triste ver crianças promissoras se perderem no aprendizado e seguirem um caminho espinhoso por não terem estrutura familiar para seguir um caminho de realização.

Assim com dizia o sábio professor Girafales, as crianças são o futuro da nação, são eles que irão representar-nos no futuro.

2 comentários:

  1. Família é tudo! Parabéns pela sua...
    Também tenho filhos-primos!!!

    ResponderExcluir