segunda-feira, 14 de abril de 2014

Aero Mulher


Caiu a par, eu mato a ímpar, mas caiu a par e não adianta dizer que foi por culpa do taco, dizer que ele espirrou, de fato espirrou, já nem me lembro mais se mato as azuis ou as amarelas, pouco importa as cores agora, joga o jogo que tá tudo certo, mas antes, desce outro Campari, ora, não há aqui quem repare nesse jogo, nem nós estamos reparando, na verdade não passa de uma boa justificativa pra falarmos daquela boca sorridente que jamais beijei, pra divagarmos sobre os verdes olhos que voam por esse céu azul, olhos que maquinam o mal a cada capital, a cada pouso, até mesmo na hora do repouso. 

Receio que essas tantas e sucessivas tacadas erradas sejam intervenções da magia que se ativa durante a pronúncia do nome dela, uma mágica do mal mais forte que o voodoo do bem, se é que existe voodoo do bem, bem sei que pra ganhar esse amor a mandinga tem que ser da boa, não haveria água ardente, pimenta e arruda suficiente, até nas mãos que bateriam o tambor faltaria fulgor, mesmo que houvesse as melhores especiarias ainda assim muito faltaria, sendo assim, assim como esse jogo de bilhar, o importante não é ganhar, joga o jogo e vamos lá.


Nenhum comentário:

Postar um comentário